Onde ficar e como circular em Rosário

Uma das coisas que mais gosto quando visito uma cidade é ter liberdade para andar à pé.

Não depender de transporte público, seja ônibus ou metrô, táxi, Uber, etc, nos permite apreciar muito mais as belezas e cultura da cidade.

E Rosário é perfeita para perambular à vontade com as próprias pernas!

 Dá uma olhada no mapa e observa como as quadras são uniformes:

2018-08-20

Além disso, nos sentimos muito seguros para circular à pé, inclusive à noite. E aproveitamos muito a cidade de jeito.

Mesmo assim, é importante escolher um local de hospedagem que seja próximo das principais atrações, pois a cidade é plana mas as distâncias podem iludir:

Atenção! Não se deixe enganar em relação às distâncias em razão dos nomes das ruas: Elas permanecem com o mesmo nome por quilômetros! Exemplo: A Rua Tucuman, do começo ao fim, tem 4,7 Km; a Santa Fé, 6,7 Km; a Córdoba, 4,8 Km; a Boulevard Oroño, 9 km!

ONDE FICAR

Nos hospedamos na beira do Rio Paraná, na esquina das Ruas Belgrano x Tucumã, e foi uma escolha mais do que acertada.

Além da vista para o Rio, Ficamos muito próximos do centro (sem estar no centro), e também das principais atrações como a Plaza 25 de mayo, a Catedral, O Monumento Nacional à Bandeira, as ruas San Martin e Córdoba, o Parque Espanha e seus maravilhosos restaurantes, enfim, todos os lugares indispensáveis de conhecer em Rosário.

2018-08-16 (2)

Sobre nossa hospedagem

Foi nossa segunda experiência com o Airbnb, e foi ainda melhor do que a primeira: o que o apartamento tinha de pequeno sobrava em charme. E o anfitrião nos atendeu super bem, nos deu várias dicas e deixou o espaço recheado de mimos (sabonetinhos, chá, café), além de responder todas nossas dúvidas super rápido. Também nos deu várias dicas de restaurante que se mostraram escolhas muito acertadas!

Super recomendo ficar neste lugar! Abaixo mais algumas fotos:

E essa vista? Podia ficar aqui o dia inteiro…

Outro lugar que recomendo é o Esplendor Savoy Rosário. Fica um pouco mais perto do centro, na esquina das ruas San Martin X San Lorenzo, e a arquitetura é espetacular, sendo uma das atrações da cidade:

IMG_0527

Quem se hospedou nesse hotel foi minha amiga Juliana, do blog Viajando com a Juliana, que adorou o hotel. Leia mais aqui.

Se não puder se hospedar lá, o restaurante é aberto ao público, e já dá para curtir um pouquinho o mood do lugar.

COMO CIRCULAR

Como mencionei, a cidade é plana e dá para caminhar tranquilamente de dia e à noite. Mas claro que depois de saracotear o dia inteiro, pode faltar perna para voltar ao hotel/apartamento.

Mas não se preocupe: vale a pena utilizar o serviços de táxi. 

Na maioria das vezes fazíamos assim: caminhávamos até o destino, não importava a distância (do nosso apê até o Alto Rosário Shopping, por exemplo, eram 4 km), e depois voltávamos de táxi, sem gastar uma fortuna (neste caso o custo foi de $100 pesos (cerca de R$ 15,00).

O transporte público parece muito organizado, todas as paradas de ônibus tem uma placa com a indicação das linhas que passam por ali, e tem até um aplicativo em que é possível acompanhar os horários, MAS:

  • Não é possível pagar a passagem em dinheiro – é preciso adquirir o cartão Movi antecipadamente nos Kioskos (e nós não encontramos – e não nos esforçamos em encontrar);
  • Aparentemente não é possível pesquisar as Linhas no aplicativo de acordo com o destino – ou eu não soube usar o APP.

No site de turismo de Rosário tem informações mais detalhadas, inclusive com os valores da bandeira do taxi e de estacionamento.

Saindo do Aeroporto

Embora conste no site da cidade que é possível sair do aeroporto utilizando a linha 115, não tinha cartão MOVI para vender no Kiosko do aeroporto. Assim, tivemos que utilizar o AEROMOVI, ao custo de $ 90 pesos por pessoa (cerca de R$ 14,00). 

O maior problema não foi o custo, e sim o local do desembarque: ficamos muiiito longe do nosso destino. Descemos no Terminal de Ônibus da Plaza Mariano Moreno – a 4 km do apartamento. 

Tanto que, na metade do caminho, depois de muito caminhar arrastando mala, acabamos pegando um táxi ($75,00 – cerca de R$ 12,00). 

Ou seja: neste caso, se tivéssemos pego um táxi direto do aeroporto, teríamos ganho tempo e dinheiro: na volta, o táxi do apê ao aeroporto custou $370,00 (cerca de R$58,36). 

Uber e Cabify 

Em Rosário não tem Uber, apenas Cabiby. Em princípio funciona bem, perguntamos ao nosso anfitrião do Airbnb, ele afirmou nunca ter usado, mas que os amigos usam, e tal… 

Fizemos uma simulação para saber o valor até o aeroporto, chamamos um carro, parecia estar tudo funcionando bem. 

No dia de ir embora, malas prontas, chamamos o carro, este aceitava a corrida e… nada! A corrida era cancelada!

Os minutos foram passando e acabamos optando pelo táxi mesmo e – DUAS SURPRESAS!

1ª – A corrida de táxi custou menos do que o valor simulado no Cabify!

2ª – Apenas quando chegamos em Porto Alegre descobrimos que o cartão de crédito foi recusado pelo aplicativo. Não descobrimos o motivo. Em Porto Alegre ele funcionou normalmente assim que chegamos no Aeroporto e pegamos um Cabify para ir para casa. 

O cartão estava desbloqueado para compras internacionais e passou tranquilamente em lojas e restaurantes. 

Nota: havíamos usado Uber em Portugal e lá também funcionou normalmente. Mistério.

Agora que vocês já sabem onde se hospedar e como se locomover na cidade, não perca o próximo post com as 10 coisas que mais gostei em Rosário!